Projeto de Reatribuição Vocal

Projeto de Reatribuição Vocal
reatribuicaovocal.jpg

Transexualidade


"Para muitas pessoas, a sua identidade de género – a identificação psicológica como homem ou mulher – não corresponde ao sexo que lhes foi atribuído e registado no assento de nascimento. O sexo atribuído é aquele que é inferido, geralmente, por um exame sumário da genitália, ignorando-se outros caracteres secundários, ou factores genéticos, endócrinos, ou neurológicos. As estimativas variam, mas estima-se que um “homem” em cada 12 0000 sente que é uma mulher e uma menor proporção de “mulheres” sente que é um homem (embora existam estudos que sugiram ou o contrário, ou um equilíbrio entre as proporções homem-mulher); ou seja, sentem que o sexo que lhes foi atribuído à nascença não está de acordo com a sua identidade de género. Estas são pessoas transexuais, ou seja, homens transexuais (as pessoas com uma identidade de género masculina, e cujo sexo atribuído à nascença foi o feminino, também conhecidos como FtM – do inglês “Female to Male”, ou seja, o sentido em que fazem a sua transição de género) e mulheres transexuais (as pessoas com uma identidade de género feminina, e cujo sexo atribuído à nascença foi o masculino, também conhecidos como MtF – do inglês “Male to Female”). Às pessoas não-transexuais, também é dado o nome de cissexuais." (Associação ILGA Portugal, 2008:2).


Estudos exploratórios sobre Perceção do Género Vocal d@ Transexual 


O objetivo central destes estudos visa a caracterização e identificação das propriedades vocais e/ou para-vocais, (co-)responsáveis pela identificação do género vocal d@ transexual. 

Com base na avaliação percetiva-auditiva do desempenho vocal destes sujeitos, tem sido possível verificar que o pitch não é o único fator responsável pela atribuição do género vocal, já que, em testes percetivo-auditivos (clique aqui para visualizar um tipo de instrumento utilizado nestes estudos: 'Questionário de perceção (do género) vocal (d@ transexual)'), os informantes demonstram ser sensíveis a um conjunto de propriedades vocais, como o pitch, a ressonância, a entoação e o ritmo, entre outras propriedades, tal como já verificado em estudos anteriores.

Quando testados por meio percetivo-auditivo e visual, ainda que sem acesso à face do locutor (para este efeito experimental, os locutores exibem uma aparência indefinida/neutra), os informantes descrevem o desempenho vocal dos locutores gravados audiovisualmente de modo holístico, justificando as suas respostas a partir das características vocais (como as supramencionadas) e não vocais (tipo de vocabulário utilizado... postura, gestos, comportamento... entre outras) observadas.



Projeto 'Reatribuição Vocal' | 'Vocal Reassignment' Project(ILASC/RdS)

Alves, D.*; Correia, P.#; Freitas, P+. & Monteiro, I.+

*ESSEM/CLUL/RdS; #ESSEM/HGO; +ILASC

  • Resumo

O presente projeto tem como principal objetivo caracterizar a qualidade de voz da população transexual (MtF: Male to Female; FtM: Female to Male), através de uma avaliação percetiva-auditiva e acústica do desempenho vocal destes sujeitos.

Os resultados deste estudo contribuirão, assim, para a caracterização das propriedades vocais da população transexual, tendo em conta as diferentes condições etárias e clínicas apresentadas, nos diferentes momentos da terapia hormonal adoptada, sendo essa caracterização determinante para o estabelecimento de prognósticos mais assertivos, para a maior adequação das técnicas de intervenção clínica seleccionadas pelo terapeuta da fala ao longo do processo de reatribuição vocal e, por conseguinte, para o alcance dos objetivos terapêuticos definidos.

As amostras vocais são recolhidas por audiogravação individual, de 3 em 3 meses, durante a terapia hormonal, podendo a primeira ocorrer imediatamente antes do início da terapia (até 3 meses antes) e a última após 2 anos de terapia hormonal (até 3 meses depois). As tarefas a executar pelos utentes consistem na produção sustentada de vogais ([a], [i], [u]), na leitura de um texto (“O Sol”) e na produção de discurso espontâneo (discurso oral neutro).

Para mais informações, poderão ser contactadas as terapeutas da fala Dina Caetano Alves e Paula Correia (geral@relicariodesons.com) ou qualquer outro elemento da equipa (Iris Monteiro e Pedro Freitas).


Para participar no estudo, clique aqui, preencha o formulário e contacte-nos para geral@relicariodesons.com.


 

  • Abstract
The present project aims at characterizing the voice quality of transsexual population (M-F >: Male to Female; F-M >: Female to Male), through a perceptual-auditory and acoustic evaluation of the vocal performance of these subjects.
The results of this study will contribute to the characterization of vocal properties of transsexual population, taking into account the different ages and clinical conditions presented in the various moments of hormonal therapy adopted, being this characterization determinant for the establishment of more assertive prognosis, for the greater suitability of clinical intervention techniques selected by the speech and language pathologist/therapist during the vocal reassignment process and, therefore, for the achievement of therapeutic goals defined.
Vocal samples are collected by individual audiorecording, every 3 months, during the hormonal therapy; the first recording can occur immediately before the onset of the therapy (until 3 months earlier) and the last one after 2 years of hormonal therapy (until 3 months later). The tasks to be performed by subjects consist in vowels sustained production ([a], [i], [u]), a text-reading task ("The Sun") and a spontaneous speech production (neutral oral discourse).

To participate in the study or for more information, please contact the speech and language pathologists, Dina Caetano Alves and Paula Correia (geral@relicariodesons.com) or any other team member (Iris Monteiro and Pedro Freitas).



Apresentação do projeto "Reatribuição Vocal" e de resultados preliminares:


  • Comunicação apresentada no 21º Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia/2º Congresso Ibero-Americano a 22.09.2013 (Porto de Galinhas - Brasil). Veja o resumo clicando aqui.

História do Projeto


  • Em 2006, a Relicário de Sons iniciou a intervenção terapêutica junto da população transexual, em processo de reatribuição sexual, com vista à reatribuição das suas propriedades vocais, formalizando, em 2011, a parceira que já vinha mantendo com o ILASC (Instituto Luso-Americano de Sexologia Clínica). Neste períodos, foram realizados alguns estudos exploratórios sobre perceção do género vocal e, em 2012, foi dado início formal ao projeto "Reatribuição Vocal", o qual passou a integrar a preciosa colaboração da Terapeuta da Fala, Paula Correia.

Para mais informações sobre a 'avaliação e intervenção' na área da 'voz transexual', clique aqui



Apoios e parcerias:


Ilasc.png

reaemailsig.jpg
  • Informações disponíveis no forum da Rede Ex Aequo: clique aqui.

534549_484622251577894_878222450_n.jpg

  • Com agradecimento especial ao Pedro Alexandre Costa



Partilhar no Facebook